Sustentável : Que Bicho é Esse?

segunda-feira, 27 de junho de 2011

PURA SEDUÇÃO CRISTALINA

A água é um dos elementos que compõem a essência da natureza e, portanto nossa própria essência, pois nosso corpo e composto por 70% de água. Capaz de contornar obstáculos, a água exerce muitas formas e exerce fascínio sobre os seres humanos. A vida nasce com a água, responsável pelo germinar da semente e pela vida humana.

Mexer com as águas é mexer com as emoções! A sedução está implícita e explícita no elemento água.

Esse texto propõe uma incursão pelo reino das águas, sinônimo de vida. É preciso pensar em formas de resguardar um dos recursos mais importantes para a manutenção da vida: a água.

Sem falsos alardes, são passadas informações relevantes a respeito dos recursos hídricos, como estão distribuídos no planeta, e de que forma estão sendo utilizados.  Como agir de forma sustentável no que se refere à preservação da água, à sua utilização e reutilização?

Lembre-se que a água é um indicador para avaliar se uma sociedade caminha em direção ao desenvolvimento sustentável ou não, e é ela que imediatamente registra o estado do mundo .

Ficam as perguntas: a água é um direito de todos ou um privilégio de poucos? Se a vida veio da água e a água vem sendo tratada como mercadoria, que valor tem se dado à própria vida?

 Alertar para a defesa das águas é uma contribuição para uma  verdadeira evolução em direção a um mundo de Paz.

As respostas aparecem na medida em que esses assuntos são discutidos, todos interligados, com exibição de iniciativas de pessoas, empresas e entidades que buscam possíveis soluções para os desafios envolvendo a defesa da água.

O Projeto Mulheres das Águas, que nasceu do desejo de revitalizar o Ribeirão das Brancas (municípios de São João D´Aliança e Água Fria de Goiás), principal fornecedor de águas para a região, e da oportunidade de valorizar a participação das mulheres no encaminhamento de questões ligadas ao meio ambiente, é um bom exemplo, entre outros que são mostrados.
video



quarta-feira, 22 de junho de 2011

TECENDO A SUSTENTABILIDADE

Qual é a importância do terceiro setor quando falamos em sustentabilidade? Será que uma Ong é sustentável?

O verdadeiro papel das entidades do Terceiro Setor é o de produzir mudanças em sua população, sejam elas ligadas ao meio ambiente, à saúde, à educação, às condições de sobrevivência, etc. Com isso, ao medir o desempenho dessas instituições devem ser observadas as metas definidas pela organização, se sua missão está sendo cumprida e se seus “serviços” estão alcançando e as pessoas a que se destinam e, por fim, se esse papel está sendo cumprido com a eficaz utilização dos recursos econômicos.

Portanto, mesmo as instituições cujo lucro é atividade “meio” e não “fim”, podem ser avaliadas segundo critérios econômicos e financeiros, desde que para isto se tenha o cuidado de observar se a missão da organização está sendo levada a cabo e se ela está efetivamente sendo um agente de mudanças humanas.

Uma outra importante pergunta que se deve fazer, em instituições sem fins lucrativos, é se os escassos recursos econômicos estão sendo aplicados exatamente onde estão os resultados. Peter Druker em seu livro Administração de Organizações Sem Fins Lucrativos, adverte:

 Acreditar que tudo aquilo que fazemos é uma causa moral, que deve ser perseguida haja ou não resultados, é uma tentação perene para os executivos de instituições sem fins lucrativos. Porém, mesmo que a causa em si seja moral, é melhor que a maneira pela qual ela é perseguida produza resultados.”

 Repararam que é a visão Triple Botton Line? Ambiental, social e econômico de forma isonômica? Apesar das dificuldades encontradas pelas ONGs, elas contribuem na disseminação de informações sócio-ambientais quando trabalham em teias, na construção de cadeias virtuais de divulgação do seu trabalho junto à sociedade e muitas vezes, fazendo o papel do governo.

Vide a trajetória de sucesso da entidade Afroreggae na pacificação de conflitos em áreas de risco, no Rio de Janeiro.

sexta-feira, 17 de junho de 2011

SER A BELA E A FERA EM SUSTENTABILIDADE

SER A BELA E A FERA EM SUSTENTABILIDADE


Enfeitar-se é um ritual tão grave.
A fazenda não é um mero tecido,
é matéria de coisa.
É a esse estofo que com meu corpo eu dou corpo.
Ah, como pode um simples pano ganhar tanta vida?
Meus cabelos,
hoje lavados e secados ao sol do terraço,
estão da seda mais antiga.
Bonita?
Nem um pouco, mas mulher.
Meu segredo ignorado por todos e até pelo espelho:
mulher.
           Clarice Lispector, Jornal do Brasil, 23.11.1968


Um dos melhores indicadores de desenvolvimento sustentável é a existência de ações simultâneas e coordenadas, voltadas para três objetivos: o desenvolvimento nas dimensões social, econômica e ambiental. A isso se dá o nome de visão triple bottom line.

O tema desse episódio é estabelecer um paralelo entre o pessoal e o profissional, levando o público a refletir sobre sustentabilidade intrínseca e extrínseca, ou seja, entre o ser e o estar sustentável.

 Como podemos ser uma empresa ambientalmente responsável , socialmente justa e economicamente viável, se não tivermos incorporado este conceito nas nossas atitudes pessoais?

 Uma empresa socialmente responsável é aquela que possui a capacidade de ouvir os interesses das diferentes partes stakeholders (acionistas, funcionários, prestadores de serviço, fornecedores, prestadores de serviço, consumidores, comunidade, governo e meio ambiente) e consegue incorporá-los no planejamento de suas atividades, buscando atender às demandas de todos. Será que agimos desta forma em nossas relações pessoais?

Na teoria tudo parece muito bonito, porém, na prática, não é uma tarefa simples. Como ser uma mulher bela, doce, suave e ao mesmo tempo uma fera, determinada, imponente e respeitada no mundo empresarial? O que isso significa e como se reflete nas nossas vidas?

Como nada é impossível para a mulher de hoje, o convido a permear o dia-a-dia feminino, em ambientes sociais distintos, sempre com a preocupação de ser sustentável. Do café da manhã em família à decisão de um grande investimento corporativo.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

O SABOR DO SABER SER

“Qual é essa educação que tornará o homem bom sem ser débil, forte sem ser monstruoso, livre de todos os excessos e fanatismos, e equilibrado ao mesmo tempo no universo a que pertence, na sociedade em que vive e no indivíduo que é?”

Cecília Meireles, A Manhã, 06.09.1941  

A temática gira em torno da educação ambiental, pressuposto fundamental para o desenvolvimento sustentável, quais os desafios e como educar as gerações de hoje e de amanhã.

 A construção de um planeta sustentável exige uma nova consciência, requer que a sociedade repense valores e mude comportamentos, devendo ajudar a desenvolver uma consciência ética sobre todas as formas de vida com as quais compartilhamos neste planeta, respeitando seus ciclos vitais e impondo limites à exploração dessas formas de vida pelos seres humanos.

Porém, num país de contrastes como Brasil, a relação com o meio ambiente modifica-se de acordo com o próprio entorno, das grandes cidades às tribos indígenas, das grandes empresas às ONGs.
A idéia é mostrar as iniciativas das empresas. das pessoas físicas e dasONGs voltadas à educação ambiental.




terça-feira, 14 de junho de 2011

NO SEIO DA SUSTENTABILIDADE

Nós, mulheres, trazemos a vida, assim como a mãe natureza... e com ela a beleza, a harmonia, a arte, a história e a cultura da nossa terra.

Extenso papel exerce a mulher ao personificar a “mãe gentil desta Pátria Amada”, ao deixar valer a sua natureza feminina que tanto contribui para que se alcance os ideais descritos no preâmbulo da nossa Constituição Federal e seus artigos sobre Direitos Fundamentais.

O que está em debate é a ação do ser humano sob o prisma dos princípios que fundamentam o paradigma de PROGRESSO, ou seja, a viabilidade da continuidade das atividades sem impactos sociais, econômicos ou ambientais, adversos de longo prazo, que transponham os impactos benéficos na transparência sobre ações e impactos e o desejo de divulgá-los de maneira clara, honesta e completa á toda sociedade.

É preciso tomar consciência e agir de forma sustentável, não podemos continuar no estado de cegueira e indiferença frente a tantos desafios a vencer. Sendo assim, mostraremos cases de mulheres que fazem a diferença.

NO SEIO DA SUSTENTABILIDADE

Nós, mulheres, trazemos a vida, assim como a mãe natureza... e com ela a beleza, a harmonia, a arte, a história e a cultura da nossa terra.
Extenso papel exerce a mulher ao personificar a “mãe gentil desta Pátria Amada”, ao deixar valer a sua natureza feminina que tanto contribui para que se alcance os ideais descritos no preâmbulo da nossa Constituição Federal e seus artigos sobre Direitos Fundamentais.

O que está em debate é a ação do ser humano sob o prisma dos princípios que fundamentam o paradigma de PROGRESSO, ou seja, a viabilidade da continuidade das atividades sem impactos sociais, econômicos ou ambientais, adversos de longo prazo, que transponham os impactos benéficos na transparência sobre ações e impactos e o desejo de divulgá-los de maneira clara, honesta e completa á toda sociedade.

É preciso tomar consciência e agir de forma sustentável, não podemos continuar no estado de cegueira e indiferença frente a tantos desafios a vencer. Sendo assim, mostraremos cases de mulheres que fazem a diferença.

MÃE NATUREZA

É sabido que para toda ação haverá uma reação! Foi exatamente isso que aconteceu com nossa mãe natureza.O ser humano ultrapassou todos os limites ao utilizar os recursos naturais como se fossem infinitos.

E o que você tem a ver com isto? Tudo! A ação humana vem deteriorando o meio ambiente e você não pode ficar parado esperando...faça sua parte! Conheça como surgiu o tema sustentabilidade e qual sua importância para a humanidade.

Para se ter uma noção da dimensão do tema, o episódio faz uma breve retrospectiva histórica, destacando a criação da Comissão Brundtland, na década de 80, e um grande encontro de nações para tratar de questões ambientais: a ECO-92. Fato, inclusive, que serviu como pano de fundo para a música “Forever Green”, do grande Tom Jobim.

A Comissão Brundtland trouxe o conceito de “desenvolvimento sustentável”, assim entendido como a capacidade de satisfazer as necessidades econômicas, sociais e ambientais das atuais gerações, sem comprometer a capacidade das gerações futuras em prover suas próprias demandas.

Fruto da ECO-92, a famosa Agenda 21 é um programa de ação para viabilizar a adoção do desenvolvimento sustentável e ambientalmente racional em todos os países.

Mais do que marcos históricos, esses fatos começaram a nortear os caminhos rumo ao desenvolvimento sustentável. Esse episódio retrata a repercussão disso até os dias de hoje, mostrando, por exemplo, ações prioritárias da Agenda 21 brasileira.

O ponto mais importante dessas ações é o planejamento de sistemas de produção e consumo sustentáveis contra a cultura do desperdício.


segunda-feira, 13 de junho de 2011

SUSTENTABILIDADE: QUE BICHO É ESSE QUE TODOS FALAM, POUCOS FAZEM E A MAIORIA NÃO SABE O QUE É?

SUSTENTABILIDADE
PALAVRA DE ORDEM


ESTÁ NAS BOCAS, CABEÇAS, EMPRESAS. MAS, AFINAL, ESTAMOS FALANDO DE QUÊ????

DE VOCÊ !
DA VIDA !
DO MUNDO !

ENTÃO PODEMOS MUDAR O MUNDO? SIM. UM POUQUINHO POR DIA, TODOS OS DIAS!

MÃOS À OBRA !!!


"Conceito de desenvolvimento sustentável - entendido como o desenvolvimento que atende às necessidades do presente sem comprometer a possibilidade das futuras gerações de atenderem às suas próprias necessidades. (Brundtland)"

SUSTENTABILIDADE QUE BICHO É ESSE?

Este blog propõe buscar informação e apresentação de cases sobre qualidade de vida e bem estar, num momento em que tanto se fala em sustentabilidade, onde muitos não a entendem e poucos a incorporam. Instigo você internauta compartilhar informações, sair do estágio de reflexão e partir para a ação!

Convido você a perceber que toda atitude individual reflete no coletivo, mostrando ações e interações sociais que contribuem com o meio ambiente, geram oportunidades e mudam realidades, propondo esse olhar sustentável sob a ótica do feminino. (Homens são muito bem vindos! Postem suas opiniões).
 
A idéia é tratar sobre o tema no mundo empresarial e pessoal, onde a mulher se coloca diante dos desafios da sociedade moderna – entre o machismo dominante e as conquistas femininas – e como ela se relaciona de forma sustentável com o seu meio ambiente compreendido como o corpo individual, o corpo social e o corpo cultural, sem dissociá-lo.

Retratar este universo apaixonante de ser, ao mesmo tempo, a mulher  empresária, a  consumidora, a  sedutora , a amante, a mãe que  procura lidar com todos os papéis na condição de SER mulher e obter o sucesso com felicidade é sem dúvida falar de sustentabilidade.

Ser mulher é ser moderna, instruída e interessante, sem perder seus atributos de mulher, esposa e mãe. É dividir-se entre as atividades da casa e do trabalho, sem deixar de exalar a sua feminilidade... É cultivar a sua capacidade de ser compreensiva,sensível, solidária, terna, humana!

Educar para a sustentabilidade do planeta, educar para um novo mundo. A Terra é nossa casa - como tal, deve ser respeitada e não somente explorada. Pense globalmente, aja localmente. É preciso repensar a sociedade, o setor reprodutivo e a própria sociedade de consumo.

Embora esta preocupação seja mundial, este blog considera a realidade sócio-cultural e econômica brasileira.

Convido todas as pessoas que se interessam pelo tema SUSTENTABILIDADE, não só as mulheres, pois a intenção não é ser excludente, muito pelo contrário,  busco a harmonia entre os sexos e o entendimento sob a cada óptica, para alcançarmos o Desenvolvimento Sustentável com qualidade de vida !!!!